Como anunciamos aqui em nosso Blog o desaparecimento do caminhoneiro, infelizmente, foi encontrado na manhã de ontem (25), o corpo do caminhoneiro José Carlos Fermino, de 60 anos, que estava desaparecido desde a última quinta (21), em Itabuna.

Segundo informações preliminares, o corpo de José Carlos estava numa vala próximo a uns galpões, nas imediações da empresa Padim, no bairro Ferradas, onde o caminhão foi abandonado.

Aparentemente, não havia sinais de violência, o que levanta a suspeita de que o motorista tenha passado mal. Este detalhe também pode justificar o fato de o caminhão ter sido encontrado na sexta-feira (22), com a carga (uma mudança) intacta.
No chão, próximo ao veículo, havia documentos espalhados.
O corpo de José foi levado para o Departamento de Polícia Técnica, onde, após a necropsia, será liberado para o translado, uma vez que o caminhoneiro morava no Paraná.

Atualizada às 11h21
A filha do caminhoneiro, Aline Fermino, em contato com nossa Redação, relatou que foi o irmão dela, o primeiro a encontrar o corpo do pai, já em estado de decomposição. O rapaz viu uma das sandálias de José Carlos e logo depois o cadáver. Aline também estava no local procurando pelo pai,  com apoio de agentes da Polícia Rodoviária Federal.

Segundo a mulher, o caminhoneiro não sofria de nenhuma doença aparente. A hipótese, nesse caso, é de que José Carlos, assim que começou a se sentir mal, saiu do caminhão às pressas (até o celular dele caiu no chão), em busca de socorro e acabou caindo nessa vala, morrendo em seguida. No entanto, somente a necropsia é que vai revelar a verdadeira causa da morte.

De acordo com Aline, pelas imagens da câmera de segurança da Padim, o pai dela saiu do caminhão por volta das 11 horas da noite de quinta-feira (21).