O suspeito de ter matado o indígena Vitor Braz de Souza, de 22 anos, na noite de domingo (13), teve a prisão preventiva decretada pelo juiz André Strogenski, de Porto Seguro, nesta quarta-feira (16). Morador do distrito de Arraial d’Ajuda, Alef Porto Souza, 28 anos, já é considerado foragido e a polícia está fazendo diligências para tentar capturá-lo.

O crime aconteceu em uma casa alugada onde ocorria uma festa clandestina, na BR-367, na Ponta Grande, orla norte da cidade. O delegado Wendel Ferreira, que coordena a investigação, já ouviu diversas testemunhas, entre elas parentes do homem apontado como o assassino de Vítor.

O CRIME – Jovem liderança da aldeia Novos Guerreiros, onde residia, Vítor Pataxó, como era conhecido, morreu após ser baleado por um homem que frequentava o evento. A briga aconteceu depois que o indígena, acompanhado de outras lideranças, reclamou do som alto da festa, que estava atrapalhando os moradores da aldeia.