WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

secom bahia secom bahia prefeitura ilheus secom bahia prefeitura ilheus secom bahia

novembro 2021
D S T Q Q S S
« out   dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  


Presidente da ABIR apresenta sugestões para a ampliação de cirurgias bariátricas pelo SUS em Audiência Pública da Câmara dos Deputados

 WhatsApp Image 2021-11-12 at 19.48.13Laudicéa Carvalho- Presidente da ABIR

A presidente da Associação de Bariátrica de Ilhéus (ABIR), Laudicéa Carvalho, representou os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), em Audiência Pública realizada pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados ao lado do seu médico e parceiro nesta luta, Dr. Nilson Ribeiro, representando o Hospital de Ilhéus, orgão apto a realizar convênio pelo SUS, com a Prefeitura de Ilhéus, para a realização da cirurgia Bariátrica.

O objetivo foi debater a realização de cirurgia bariátrica por videolaparoscopia através do (SUS), em um contexto de poucos recursos orçamentários. Esta audiência foi promovida pelo Deputado Federal, Jorge Solla, após tomar conhecimento das necessidades da Associação ABIR, e por ser um alto conhecedor do procedimento e ter tambem, viabiilizado, a sua realização para inúmeras pessoas na Bahia, vem junto a esta Associação procurando meios para que mais de 500 pessoas sejam atendidas com a cirurgia bariátrica através do SUS e por videolaparoscopia.

WhatsApp Image 2021-11-12 at 19.48.14 (1)

A revisão de valores dos insumos necessários à cirurgia, a compra centralizada desses insumos e a elaboração de listas estaduais de pacientes à espera do procedimento foram algumas das soluções apontadas na audiência pública, que foi solicitada e presidida pelo Deputado Federal Jorge Solla (PT/BA).Na reunião, a presidente da Associação de Bariátrica de Ilhéus e região (ABIR), Laudicéa Carvalho, relatou que só conseguiu se operar em 2019 porque entrou na Justiça. Na avaliação dela, investir na laparoscopia pode significar economia para o SUS.

“O obeso diariamente está internado. Recebe remédios para pressão arterial e para diabetes, perde um dedo, fica em cadeira de rodas. O obeso usa mais a Previdência Social, porque torna-se incapaz e se aposenta por invalidez”, exemplificou Laudicéa.
“Colocar na portaria um valor para a aquisição dos grampeadores já solucionará o problema, já ajudará a salvar essas vidas” disse a presidente da ABIR, ao lembrar que, somente na entidade, há uma demanda de 400 pessoas e em Ilhéus quase 10 mil, à espera da cirurgia. “Estou falando de Ilhéus, mas o Brasil clama por uma correção da tabela do SUS. Portanto, rogo aos senhores que peguem essa bandeira, que estudem a viabilidade de conceder esses grampeadores para que possamos devolver dignidade e condições de vida a essas pessoas”, completou.

O Deputado Jorge Solla esclareceu que as cirurgias bariátricas por laparoscopia não são bancadas apenas com recursos só do Ministério da Saúde ou do SUS. “Entram aí verbas do orçamento das entidades de ensino. Obviamente, as universidades estão fazendo [as bariátricas por laparoscopia] porque precisam treinar os novos profissionais”, disse Solla. “O quantitativo oferecido é o mínimo do mínimo necessário para que as residências de cirurgia não sejam desabilitadas.”

A diretora de Relações Governamentais da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, Galzuinda Figueiredo Reis, reconheceu, por outro lado, que o financiamento do procedimento é complexo e sugeriu, assim como outros especialistas, soluções alternativas, como compras centralizadas ou a elaboração de listas, que poderiam dar uma noção melhor da situação dos pacientes. “A gente pode pensar também na questão de impostos, se a gente poderia ter alguma diminuição para fazer com que hospitais comprem com valor menor”, declarou.

Estudo econômico: Conforme a representante da Coordenação de Atenção Especializada do Ministério da Saúde na audiência, Aline Lopes, a pasta está ciente da situação e do represamento de procedimentos.
Ela observou, no entanto, que qualquer ampliação demanda um estudo econômico prévio. “Esse movimento é precedido de uma análise econômica de impacto orçamentário, tanto do valor necessário para cobrir quanto da viabilidade financeira”, explicou.
Aline Lopes lembrou ainda que o SUS possui normativas específicas relativas à cirurgia bariátrica e que hoje o País conta com 94 serviços habilitados para o procedimento.

1 resposta para “Presidente da ABIR apresenta sugestões para a ampliação de cirurgias bariátricas pelo SUS em Audiência Pública da Câmara dos Deputados”

Deixe seu comentário



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia