Nas últimas semanas que antecedem as Convenções Municipais em Ilhéus, a grande expectativa ficou por conta da escolha dos candidatos a Vice-Prefeito que irão compor as chapas majoritárias na corrida pelo Poder Executivo.

Além de suas funções oficiais ao assumir o cargo, caso seja eleito, o Vice-Prefeito é escolhido a priori, com o objetivo de ampliar a base de apoio do então candidato a Prefeito, na prática, o vice é escolhido para somar votos rumo à vitória.

Entretanto, o anuncio do candidato do DEM, Valderico Junior, para compor sua chapa como Vice-Prefeito, trouxe uma grande insatisfação nos partidos que compõe sua base aliada, .

Segundo informações, a escolha do professor Dorival Freitas Filho (DEM) como candidato a vice-prefeito, foi um surpresa para todos. Nos bastidores, a informação que temos é que Valderico Junior escolheu seu vice sem consultar os partidos que compõe a base de apoio (PSDB, MDB, PL, PTC, Patriota, PMB, dentre outros) criando uma grande insatisfação.

A quem diga que, ao fazer a escolha de Dorival Freitas como vice em sua chapa, Valderico Junior deixou de somar e ampliar sua base de apoio, pois montou uma chapa puro sangue mesmo tendo oito partidos o “apoiando”, como também, pelo próprio vice. Professor de uma escola particular da cidade de Ilhéus, o candidato a vice de Valderico Junior é pouco conhecido da população ilheense, além de ter a rejeição daqueles que o conhecem.

Mais uma vez o filho de Valderico Reis, escolheu o caminho politico a seguir de forma unilateral, sem consultar seu grupo político e aqueles que o apoiam. Assim aconteceu em sua ida para o DEM, que culminou na saída de inúmeras lideranças, como por exemplo o professor e pensador Emenson Silva.

Verdadeiramente um “tiro no pé”.

Informações Blog IlheusInforme