O Ministério da Saúde (MS), por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, apresentou os dados referentes à Semana Epidemiológica (SE), período compreendido entre 9 de junho e 31 de agosto de 2019, 24ª e 35ª semanas respectivamente. O boletim também divulga as recomendações do MS para subsidiar as ações de vigilância, prevenção e controle do sarampo no país.

No período entre 9 de junho e 31 de agosto de 2019 foram confirmados laboratorialmente um total de 2.753 casos, em 13 Unidades da Federação com transmissão ativa. A maioria dos casos (98,3% – 2.708) estão concentrados em 82,5% (99) dos municípios do Estado de São Paulo, na região Sudeste do país. A incidência neste estado é de 23,4 casos por 100 mil habitantes.

Outro fator preocupante refere-se aos óbitos em decorrência da infecção. De acordo com a Secretaria de Vigilância em Saúde, foram confirmados quatro óbitos, três no estado de São Paulo e um no estado de Pernambuco. Três óbitos ocorreram em menores de um ano de idade e um em um indivíduo de 42 anos. Nenhuma das pessoas era vacinada contra o sarampo.

O MS realiza ações conjuntas para o enfretamento do surto da doença. O bloqueio vacinal seletivo deve ser realizado em até 72 horas em todos os contatos do caso suspeito durante a investigação. Até agosto deste ano foram distribuídas, para todos os estados, o total de 18.371.890 doses e o estoque total até 3 de setembro de 2019 era de 2.332.752 doses. O consumo médio mensal no Brasil é de 1,9 milhões de doses. Ademais, foram distribuídas 8,2 milhões de doses adicionais fora da rotina.

Distribuição da vacina – O MS monitorará somente os insumos armazenados em estoque nacional e aqueles repassados às secretarias estaduais. O órgão informa que as unidades de saúde dos municípios devem acessar ao sistema na data registrada na fonte da tabela. O plano para monitoramento da dispensação dos Estados às Secretarias Municipais ainda está em desenvolvimento.

Por sua vez, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) reforça as ações de conscientização e informa que a vacina contra o sarampo está disponível no serviço de rotina das Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A Vigilância Epidemiológica de Ilhéus ressalta que o município é um dos roteiros turísticos mais procurados do Brasil e por esse motivo é de suma importância que as pessoas se conscientizem e colaborem com a ação.

A atividade já imunizou funcionários,passageiros e transeuntes no aeroporto Jorge Amado e no Terminal Rodoviário de Ilhéus, além de funcionários da empresa OAS, responsável pela construção da ponte. A população com idades de 1 a 29 anos deve procurar as salas de imunização para receber as 2 doses da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola). Já as pessoas com idades de 30 a 49 anos, devem receber 1 dose da vacina tríplice viral. Os profissionais da saúde devem ser vacinados independentemente da idade.

As vacinas são seguras, contudo as contraindicações devem ser respeitadas mesmo em situações de surto de sarampo. Não devem receber a vacina contendo o componente do sarampo as gestantes, crianças menores de seis meses de idade e imunodeprimidos. O MS disponibilizará aos estados e ao Distrito Federal, cápsulas de Vitamina A na concentração de 50.000 UI, para casos suspeitos da doença em crianças menores de seis meses de idade.

Em virtude da fotossensibilidade da Vitamina A (palmito de retinol), o MS salienta ainda que os profissionais devem estar atentos às medidas de armazenamento, transporte e administração. Competirá aos estados o recebimento, armazenamento e distribuição aos respectivos municípios.

Recomendações do Ministério da Saúde – Reforçar as equipes de investigação de campo; fortalecer a capacidade dos sistemas de vigilância epidemiológica; produzir ampla divulgação midiática; estabelecer estratégias para implementações imediatas de ações nos casos importados de sarampo; entre outras. A vacina é a única medida preventiva eficaz contra o sarampo.