Gráfico IDEB de Ilhéus

A rede escolar da Secretaria Municipal de Educação (Seduc) de Ilhéus atingiu a meta do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), de 4,6, projetada pelo INEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira para o ano de 2017. Os melhores resultados na rede de ensino foram alcançados pelas equipes das Escolas Municipais Marianne Eckes, localizada no Jardim Savoia, e Gisélia Soares, situada no São Francisco, com as notas 5,3 e 5,0, respectivamente, superando a projeção para o ano em pesquisa.

A secretária de Educação, Eliane Oliveira, distribuiu nota na qual parabeniza todas as equipes escolares pelo trabalho, empenho e dedicação que tornaram possível alcançar a meta projetada pelo Instituto Anísio Teixeira. O IDEB foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. O índice é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no censo escolar, e das médias de desempenho nas avaliações da Prova Brasil.

Em Ilhéus, a evolução do IDEB nos anos iniciais do ensino fundamental segue uma linha ascendente desde 2015. Novamente, em 2017, alcançou a meta projetada. Do total de escolas da rede, 32% conseguiram aumentar o índice do IDEB: Marianne Eckes, Gisélia Soares, da Barra de Itaípe, de Inema, do Iguape, do Salobrinho (atual Professora Jardelina), Dom Valfredo Tepe, Nelson de Oliveira, Pequeno Davi, Pinóquio e Vovô Isaac.

No total, 50% das escolas apresentaram uma melhoria nos índices, em comparação aos resultados de 2015, sendo que 18% não atingiram o índice projetado para a escola. Apenas uma escola (2,9%), apresentou queda no seu resultado. “É claro que a nota 4,6 não representa a qualidade que almejamos para a educação municipal, mas ter atingido a meta projetada sinaliza que estamos melhorando, a cada dia, o nível de aprendizagem em nossa rede. Muito ainda há de se fazer, é certo, porém a educação está sempre em processo e não pára”, declarou a secretária Eliane Oliveira.

Diante do resultado, a secretária considera que “todo trabalho desenvolvido em cada unidade de ensino, os planejamentos, a dedicação dos professores em sala de aula, merecem ser reconhecidos e incentivados, a fim de prosseguir numa linha ascendente. Igualmente importante é assegurar o processo de formação continuada e iniciar a revisão curricular, para implementação da BNCC, que, com certeza, imprimirá maior qualidade à Educação”, acrescentou.

Para a diretora da Marianne Eckes, escola com o melhor índice do IDEB, Rita de Cássia Smith, estes números refletem uma gestão eficiente e de qualidade. “Além do comprometimento dos professores, gestores, coordenadores, alunos, família e comunide”, enfatiza.