Cleber é suspeito de cuidar do cativeiro onde empresário e ex-prefeito ficou (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Cleber é suspeito de cuidar do cativeiro onde empresário e ex-prefeito ficou (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Cleber é suspeito de cuidar do cativeiro onde empresário e ex-prefeito ficou (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Mais um suspeito de ter sequestrado o empresário e ex-prefeito da cidade baiana de Valença, Ramiro José Campêlo de Queiroz, 70 anos, foi preso ontem, quinta-feira (13), em Salvador. De acordo com a Polícia Civil, Cleber dos Santos Freire, de 40 anos, foi encontrado quando deixava a casa da filha, no bairro de Sussuarana, na capital baiana.

Conforme apontam as investigações, Cleber era responsável por vigiar o ex-prefeito no cativeiro, localizado em Dias D’Ávila, na região metropolitana de Salvador.

De acordo com o delegado Cleandro Pimenta, da Coordenação de Repressão a Extorsão Mediante Sequestro, do Draco, com a prisão de Cleber, a polícia conseguiu chegar a um dos locais onde a vítima foi mantida em cárcere. O outro local do cativeiro, segundo apontaram as investigações, foi na zona rural de Valença, cidade de onde a vítima foi levada.

O imóvel em Dias D’Ávila, segundo a polícia, foi alugado por Márcio Reis dos Santos, o “Bradock”, um dos integrantes da quadrilha que foi preso em 14 de fevereiro, em São Paulo, junto com mais três sequestradores: Geraldo Alves de Carvalho Neto, Carlos Eduardo Rabello e André Luís Maciel Santos.

Os quatro homens foram presos no dia 14 de fevereiro, durante um encontro em uma churrascaria, em São Paulo, para fazer a redistribuição do dinheiro obtido por meio de negociação com a família. No dia 17 do mesmo mês, eles foram transferidos de São Paulo para Salvador.

A polícia ainda não detalhou se Cleber, o homem preso em Salvador, é o último suspeito do caso que foi preso. Na época da prisão dos quatro homens em São Paulo, Cleandro havia informado que investiga a participação de outros suspeitos, mas destacou que os quatro presos inicialmente são os protagonistas do sequestro.

Caso

Suspeitos de participar do sequestro de ex-prefeito de Valença, na Bahia (Foto: Henrique Mendes/ G1)Suspeitos de participar do sequestro de ex-prefeito de Valença, na Bahia (Foto: Henrique Mendes/ G1)

Suspeitos de participar do sequestro de ex-prefeito de Valença, na Bahia (Foto: Henrique Mendes/ G1)

Segundo Cleandro Pimenta, Ramiro José Campêlo foi sequestrado no dia 18 de janeiro dentro de casa, em Valença, no baixo sul do estado, às 6h, por três homens que renderam o caseiro e também a mulher da vítima.

No dia 11 de fevereiro, a família da vítima pagou o resgate para parte da quadrilha no município de Taubaté, em São Paulo e no dia seguinte, Ramiro foi liberado por outra parte da quadrilha, no município de Simões Filho, na região metropolitana de Salvador. O sequestro durou 25 dias.

Liberado pelos criminosos, o ex-prefeito pegou um táxi e seguiu para a casa de um dos filhos, que mora na capital baiana. Quando a vítima chegou na residência, apresentava uma fissura em um dos braços. O machucado, conforme relatou o delegado não decorrente de agressão. “Ele foi se movimentar dentro do cativeiro, aí ele levou uma queda e fissurou um dos ossos do braço”, explicou Cleandro.