Durante duas semanas, as turmas do Ensino Fundamental I da Escola & Brinquedoteca A Casa Amarela, em Ilhéus, trabalharam uma sequência didática acerca da febre amarela. Na tarde da última sexta-feira (02), os estudantes fizeram apresentações artísticas de acordo com os gêneros textuais abordados em sala. Para complementar a ação, foi convidada a equipe de Agentes Municipais de Saúde que trouxe uma dramatização sobre formas de prevenção do mosquito Aedes aegypti, vetor urbano da febre amarela e demais doenças como dengue, zika e chikungunya.

A Casa Amarela segue a metodologia de ensino sociointeracionista, linha do Construtivismo que defende o processo de aprendizagem através de vivências em contextos históricos, sociais e culturais. Assim, as pesquisas a respeito da febre amarela partiram das noções que as crianças do Ensino Fundamental I tinham sobre a doença. “Primeiro, foi feito um levantamento sobre o que eles sabiam a respeito do tema e, a partir do que trouxeram de curiosidades, foram elaboradas as demais ações”, explicou a diretora pedagógica, Sara Lemos.

Paralelamente às atividades interdisciplinares sobre a febre amarela, as turmas do Ensino Fundamental I trabalharam os gêneros textuais da poesia, texto informativo e história em quadrinhos. Assim, as apresentações elaboradas pelos próprios estudantes foram uma música feita pelo 1º ano, um poema escrito pelo 2º ano e uma dramatização do 3º ano. O conteúdo da produção coletiva foi completamente autoral, construído sob a orientação das professoras Vitória Alves, Evellin Cezar e Rossane Sales.

Para compor a plateia das apresentações das turmas do Ensino Fundamental I e dos Agentes Municipais de Saúde, foram convidados grupos da Educação Infantil. “A Casa Amarela segue uma visão contextualizada e compartilhada. Uma vez que crianças aprendem muito com outras crianças, as relações de troca tornam-se significativas e com resultados multiplicadores”, acrescentou a diretora pedagógica, Sara Lemos.